Superação e Liderança em Tempos de Crise

Por A.J. Limão

Conhecem aquele adágio: “Enquanto uns choram, outros fabricam lenços?”

Nada mais verdadeiro do que mostrar uma atitude positiva, na superação de crises. Somente aqueles que choram por “um resto de esperança” é que fica “sentado à beira do caminho”, como diz a música.

A meu ver, a palavra esperança deveria ser banida da língua portuguesa. Geralmente nas crises tem pessoas que se colocam a mercê da previdência divina e ficam esperando que as coisas mudem que a solução caia no colo. A palavra que norteia os seres humanos é necessidade. A necessidade faz com que tenha que correr atrás, para supri-las, porque deriva de uma carência ou da falta de algo.

A palavra que devemos celebrar em nossa língua é expectativa. Quando eu disse isso numa palestra em Recife, uma participante procurou-me depois e disse: “que coisa horrível que você disse, eu tenho esperança, eu espero engravidar, quero ter filhos”. Perguntei-lhe se ela estava fazendo alguma coisa para que isso acontecesse ao que me respondeu: “sim, vou ao médico, faço exames, tiro minha temperatura, tenho relação sexual no período de ovulação”… Então eu lhe disse você não tem esperança, tem expectativa, porque está tomando atitude, fazendo uma série de coisas para o que quer aconteça. E o resultado foi melhor do que ela podia imaginar, teve gêmeos.

Três princípios para o líder enfrentar a crise.

Conhecemos o líder em momentos de crise. Alguns ficam entrincheirados em suas mesas, analisando relatórios, dados e orçamentos, esperando que a situação mude. Outros não. Procuram agir sobre os acontecimentos, tomam atitudes, fazem as coisas acontecerem, se colocam frente aos problemas, criando expectativas. Vejamos os três princípios para superar uma crise:

1º.  Seja engajado e engaje as pessoas.                                                              

Lidere a partir do exemplo, mostre-se a equipe, discuta sinceramente os problemas, comunique-se permanentemente com seus liderados. Contagie as pessoas com uma atitude positiva. A verdade é que se agir sobre os fatos, mudará a realidade.

2º. Crie uma visão, uma direção um significado.              

Visualize um quadro futuro e comunique-se com convicção e entusiasmo contagiante. Isso inspira as pessoas e as fazem suportar as dificuldades e supera-las. Moisés trabalhou a visão da terra prometida e assim o povo suportou o deserto.Recentemente Lula disse que “Em 2010 nós já teríamos esquecido da crise”, numa atitude clara de estabelecer uma visão.

3º.  Mexa com a equipe.                                                                       

A hierarquia é o maior inimigo da crise, esperar ordens serem dadas não funciona. Atitude sim. Discuta os problemas com a equipe, procurem juntos a solução.  Deixe-os participarem. Um bom exemplo é a exploração do Pólo Sul. Tivemos na corrida dois líderes, sendo que um deles Scoth como era militar seu comando era rígido e somente ele dava ordens e todos morreram de fome e de frio na tentativa da chegada. Amundsen discutia com seus liderados, aceitava as melhores idéias e as executava. Assim, chegou ao Pólo Sul e voltou com vida, ele e a sua equipe.

Extraia o que há de melhor nas pessoas, as inclua. Isso as motiva e as estimulam a tomar atitudes, criando expectativas buscando soluções. É esse o seu papel de líder em tempos de crise.

 

 

 

A. J. Limão é palestrante da Integração, professor, consultor e autor  de livros sobre liderança.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: